0800 880 6767 | 4003-6767 |

Inscreva-se

SiSU

Cadastre-se gratuitamente e receba o nosso guia completo.

Tudo sobre o Enem

Uma coisa é certa: o Enem é uma excelente porta de entrada para ingressar em um curso superior. Cada vez mais, pessoas de várias idades estão aderindo a esta forma de iniciar os estudos na graduação.

Por isso, a gente preparou este guia de estudos Enem, com dicas de como aumentar a sua média nas provas e práticas para conter a ansiedade e se dar bem no grande dia. Acompanhe a leitura pra saber tudo sobre o Enem! Papel e caneta na mão?

O que é e para que serve o Enem?

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), lançado em 1998 pelo Ministério da Educação (MEC), tinha o intuito, inicialmente, de avaliar a qualidade do Ensino Médio, sendo aplicado para os alunos do último ano.

O exame não era obrigatório, portanto, poucos alunos aderiram ao Enem nos primeiros anos, e essa, na verdade, era a situação vigente até 2009, quando algumas universidades federais passaram a aceitar a prova como validação para primeira etapa no ingresso dos cursos de graduação.

O Enem foi gradualmente ganhando espaço e notoriedade em todo território nacional até chegar à importância que ele tem hoje. Mas, afinal, para que serve o Enem atualmente?

Em primeiro lugar, o Enem é aceito como forma de ingresso em 51 universidades federais de todos os estados brasileiros por intermédio do SISU (Sistema de Seleção Unificada);

Além disso, muitas instituições de ensino superior privadas aceitam o Enem como nota parcial ou integral de ingresso;

O Enem também serve aos interessados em obter o certificado de conclusão do Ensino Médio.

Certamente, a opção de conquistar a vaga em um curso superior, seja federal, estadual ou privado, justifica para que serve o Enem e sua grande importância no cenário educacional do Brasil. O órgão responsável pela regulamentação e organização do Enem é o INEP.

Tutorial de como se inscrever no Enem

Para evitar possíveis falhas ou esquecimentos no processo, preparamos um passo a passo de como se inscrever no Enem. Confere aí

Acesse a página e preencha seus dados

Ao acessar a página inicial do participante, você verá, no primeiro momento, a assistente virtual, a robô Nanda. É ela quem vai guiá-lo, solicitando algumas informações importantes para concluir a inscrição.

Você deverá clicar na imagem do objeto indicado. Depois, a robô Nanda pede que você clique em um cadeado.

Agora, é só preencher as informações de acordo com as instruções da assistente virtual. Não se esqueça de informar caso precise de atendimento especial.

Posteriormente, indique a língua estrangeira em que deseja efetuar as questões no exame.

O questionário socioeconômico

Você deverá responder questões pessoais, sobre sua família e sobre moradia. Os dados são utilizados somente para estudos dentro do Inep.

Ao todo, são 25 perguntas, sendo que, ao final, aparece uma mensagem indicando que o questionário não poderá ser alterado depois de a inscrição ser concluída.

Escolha entre o Enem digital ou impresso

As vagas para o Enem digital são limitadas, mas você ainda pode ter a opção de escolher entre um ou outro. A quantidade de vagas para o Enem digital em 2020/2021 foi 100 mil inscrições, voltadas apenas para alunos concluintes do Ensino Médio.

Gerando o boleto ou confirmando a isenção

Agora você vai ver o robô Beto em ação. Ele vai te auxiliar no pagamento do boleto ou confirmar a isenção da taxa de inscrição.

Para quem é isento, surgirá uma mensagem confirmando a inscrição. Já aqueles que pagam a taxa, o próximo passo é fazer o download do boleto.

Notícias do Enem

O que você está procurando?

o que é INEP?

O INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) é um órgão subordinado ao MEC. Mas você sabe qual é a função do INEP? A gente responde: a principal função do INEP consiste em avaliar exames, através de estatísticas e indicadores, por intermédio da gestão do conhecimento e estudos educacionais.

Criado em 1937, para “realizar estudos para identificar os problemas do ensino nacional e propor políticas públicas” (INEP, 2021), o INEP tem a responsabilidade de reger todos os passos da composição e aplicação do Enem.

Em 1952, o órgão começou a fundamentar e estimular a pesquisa brasileira e a qualidade do ensino sob responsabilidade ampliada para os estados. Já em em 1990, o INEP criou o Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), avaliação que verifica a qualidade de ensino no Brasil.

E, afinal, qual é a diferença entre o Enem e o Vestibular?

Antes de fazer planos para a universidade, é importante que você se informe a respeito das diferenças entre Enem e vestibular. A maneira como funciona o Enem diverge do tradicional vestibular em alguns aspectos, entre eles, a estrutura da prova.

Enquanto no vestibular a prova segue um modelo mais aproximado de divisão de disciplinas, o Enem contempla um conjunto de competências e a redação: são 4 provas, divididas em um total de 180 questões, igualmente distribuídas nos cadernos de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias.

Normalmente, o vestibular das universidades federais contempla 90 questões e a redação, sendo a etapa de provas distribuídas em dois dias, bem como é feito o Enem na atualidade. As instituições de ensino superior privadas possuem maior liberdade para aplicar seus critérios na execução do vestibular –algumas preferem apenas utilizar a redação, outras aplicam uma prova mais tradicional. Enfim, depende de cada local imprimir suas diretrizes de ingresso.

Uma grande parte das vagas ofertadas pelas universidades públicas federais é destinada ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), uma plataforma que dá uma métrica do desempenho do candidato no Enem, e é o meio pelo qual as pessoas normalmente se inscrevem nessas universidades.

Um número expressivo de universidades particulares e estaduais igualmente utilizam a nota do Enem para suprir um percentual das vagas, podendo complementar a nota obtida no vestibular ou ainda substituindo a prova tradicional.

Além disso, quem quer ingressar em instituições particulares pode solicitar bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni) ou o Financiamento Estudantil (Fies) utilizando a nota do Enem.

Outra diferença entre Enem e vestibular é o formato de correção das provas:

As provas objetivas do Enem são corrigidas através da leitura automatizada das respostas; as questões também recebem pesos diferentes conforme os erros e acertos do candidato em cada uma das provas aplicadas. A redação é corrigida por uma equipe especializada, terceirizada pelo INEP –assim é como funciona o Enem.

O vestibular obedece aos critérios de correção de cada universidade ou faculdade. Geralmente, são preenchidos cartões-resposta que são lidos de forma automatizada, bem como feito no Enem, porém, com pesos iguais já pré-estipulados. A redação normalmente é corrigida pelos docentes da própria instituição ou professores universitários selecionados rigorosamente.

A linha do tempo do Enem

A história do Enem é um grande avanço no sistema educacional brasileiro, pois o exame gerou mais oportunidades de conquistar a tão sonhada vaga no ensino superior, seja gratuito ou privado.

Abaixo, você confere alguns dos eventos mais significativos na história do Enem:

1988: primeiro ano de Enem (não obrigatório), prova com 63 questões e 157 mil alunos inscritos;

2001: inscrição gratuita aos alunos do Ensino Médio e mais de 1 milhão de inscritos;

2004: criação do Prouni e oferta de vagas para alunos com as notas mais satisfatórias do Enem, e a identificação da modalidade “treineiros”;

2009: o exame passa a ter 180 questões, especialmente devido ao nascimento do Sisu e o Encceja. Foram 4,1 milhões de inscritos neste ano;

2010: o Fies (Financiamento Estudantil) passa a aceitar o Enem;

2011: nasce o programa Ciência Sem Fronteiras, e o resultado do Enem é utilizado para a concessão das bolsas. O número de inscritos do Enem passa de 5,3 milhões;

2014: algumas universidades de Portugal passam a aceitar o Enem;

2016: a coleta de dado biométrico é usada como item de segurança, otimizando o processo avaliativo;

2018: ocorrem mudanças na aplicação do Enem com base em consultas populares;

2020: a emergência do Enem digital é instituída como teste, oriundo das mudanças ocorridas na sociedade devido à pandemia do novo coronavírus.

Enem digital: como funciona?

O digital, novidade implementada em 2020/2021, não substituirá a prova impressa por enquanto. Mas, de qualquer forma, é importante entender como o Enem digital funciona, pois pode ser uma opção para os estudantes no futuro.

O Enem digital, a princípio, foi um teste, sendo liberado apenas para 100 mil inscritos. O MEC deseja avaliar se a iniciativa é uma alternativa segura. Dentre as principais características do Enem digital, podemos destacar:

Estrutura da prova: 180 questões objetivas e redação. Com exceção da redação, que é feita de forma manual, o restante da prova é realizado de maneira digital.

Data da prova: igualmente realizada em dois domingos, sendo que o candidato escolhe no momento da inscrição se prefere o formato digital ou presencial;

Local de realização: as provas são realizadas em universidades, dentro de laboratórios de informática, apenas em algumas capitais.

Como saber se estou inscrito no Enem?

Aqueles que pagam a taxa devem acessar o site do INEP com o login e senha cadastrados na hora da inscrição. Se você já efetuou o pagamento do boleto, aguarde a confirmação do banco nas próximas 48 horas, e não jogue fora o comprovante de pagamento.

Os isentos da taxa de inscrição devem apenas verificar, posteriormente ao cadastro, se a inscrição está homologada no site. Simples, né?

Como acompanhar a inscrição do Enem?

Acompanhe via site: https://enem.inep.gov.br/participante. Aqui, é possível verificar tudo a respeito do exame, bem como se informar sobre o cronograma, mudanças e novidades que possam surgir sobre o Enem. Se quiser, salve o site na barra de favoritos do seu navegador.

A taxa de inscrição Enem

O valor mais atual da taxa de inscrição do Enem é de R$85. Essa taxa pode ser paga em qualquer banco, casa lotérica ou agência dos Correios. Atente-se ao prazo de vencimento do boleto (que varia conforme a data de geração do boleto).

Há, ainda, a possibilidade de pedir isenção da taxa para um público pré-determinado. A gente explica na sequência!

Como pedir isenção do Enem?

Sim, dá para pedir isenção do Enem na hora da inscrição! Neste momento, você pode selecionar a opção de “gratuidade”. Mas existem alguns critérios para quem pode pedir a isenção do Enem:

O candidato deve ter concluído o Ensino Médio em uma escola pública ou com bolsa integral na rede privada e, ainda, ter renda mensal familiar por pessoa de até um salário mínimo e meio;

Candidatos que têm inscrição no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal), com renda mensal familiar de até três salários mínimos ou meio salário mínimo por pessoa;

Alunos que estejam cursando o terceiro ano do Ensino Médio.

Se você solicitou a isenção da taxa no ano anterior, mas, por algum motivo, não compareceu ao exame (em um ou nos dois dias da prova), precisa justificar essa ausência se quiser conseguir o benefício novamente.

O que você precisa saber sobre como se preparar para o Enem

A pergunta que deixa todos inquietos: como se preparar para o Enem de forma efetiva? 🤔 Bem, é certo que o emocional dos candidatos deve estar equilibrado, para que esse não seja um fator que os atrapalhe antes e durante as provas.

Por isso, tenha em mente alguns pontos de atenção na preparação para o Enem:

Estabeleça um cronograma de estudos com horários estipulados, desenvolvendo uma rotina e disciplina.

Dica de ouro: comece pelas matérias nas quais você tem mais dificuldade;

Organize-se no dia anterior às provas. Este também é um fator importante de como se preparar para o Enem. Durma bem e cuide da alimentação para estar disposto nos dias de prova;

O grande dia. No dia do exame, use roupas confortáveis e não se esqueça de levar a garrafa com água + um lanchinho leve. Atente-se às regras de embalagem e ingestão de líquidos que constam no Edital.

Qual é a melhor maneira de estudar para o Enem?

Algumas dicas de estudo para o Enem, como periodicidade, leituras adicionais, foco em determinadas disciplinas ou assuntos, prática da redação e realização de simulados, contribuem para elevar o ritmo e a qualidade do estudo.

Um dos métodos de estudo mais populares são as vídeo-aulas, que têm a vantagem de poder pausar e voltar quantas vezes forem necessárias. No Youtube, alguns canais contam com conteúdos muito relevantes sobre as matérias que caem no Enem:

Débora Aladim — História e redação do Enem; Biologia Total; Ferretto Matemática; Ciência em Ação — Química; Se Liga Nessa História; Ciência Todo Dia — Física; YouTube Edu — temas variados.

E se você quer materiais completos sobre como estudar para o Enem e o que esperar do grande dia, confere essas dicas:

O Enem Action é uma plataforma preparatória gratuita para o Enem que conta com vídeo-aulas, simulados e conteúdos adicionais para arrasar nas provas.

O e-book Enem Hacks disponibiliza dicas imperdíveis para potencializar a sua preparação para o Enem. Nele, você aprende hacks, acessa ferramentas para acalmar a ansiedade e descobre os top 20 temas que mais caem no Enem.

E a ansiedade, como fica?

A ansiedade nos estudos acompanha grande parte dos candidatos, e sempre rola uma tensão durante a preparação para o Enem. Isso é super comum!

Se você faz parte do grupo dos ansiosos, uma boa opção é investir em técnicas de relaxamento, como meditação, atividades físicas e, até mesmo, se dedicar a um hobby.

A meditação, por exemplo, contribui para dar tranquilidade e ânimo nessa jornada de estudos, além de:

Aumentar o foco em multitarefas; Ampliar o autoconhecimento e a autoestima; Melhorar a memória; Controlar a ansiedade; Reduzir o estresse.

A respiração é uma aliada da meditação e pode ser feita por qualquer pessoa de qualquer idade. Pode ser um pouco difícil no começo, mas, com o tempo, você vai descobrir que a sensação é maravilhosa!

Uma dica é ignorar os pensamentos e ruídos externos, focando apenas na respiração. Inspire, solte o ar e vá relaxando. Se desejar, coloque uma música suave no fundo. Faça essa pausa e veja se te ajuda a controlar a ansiedade nos estudos. Depois, conta pra gente se deu certo!

Tá chegando… você sabe o que fazer um dia antes do Enem?

Ter algumas informações na ponta do lápis a respeito do que deveria ser feito um dia antes do Enem é super importante. Por isso, a gente fez este checklist de coisas que você não pode esquecer. Se liga!

O que levar no dia da prova do Enem?

É comum aparecerem dúvidas a respeito do que levar no dia da prova do Enem, e existem, realmente, algumas bebidas e alimentos que não são permitidos (já vamos falar sobre isso!). Em geral, você não deve se esquecer de:

Documento com foto (pode ser Carteira de identidade, CNH, passaporte, certificado de reservista, carteira de trabalho ou qualquer outro documento original de identificação reconhecido pela Lei); Caneta esferográfica transparente de tinta preta (leve, pelo menos, 2, para não correr risco de a tinta acabar ou falhar); Cartão de inscrição (não é obrigatório levar, mas é sempre bom tê-lo em mãos, pois assim você garante que não vai esquecer do número da sala e do prédio onde sua prova está marcada para acontecer); Lanches leves e saudáveis, como frutas, castanhas e barrinhas de cereal; Bebidas como água (ou até mesmo suco) em garrafas transparentes. Refrigerantes e energéticos são permitidos, porém, não são recomendados, dado que eles tendem a causar uma agitação interna e podem desconcentrar o candidato na hora da prova.

E o que não pode levar no Enem?

Como você já sabe o que é necessário para realizar as provas, também é fundamental ter em mente o que não pode levar no Enem. A gente fez essa listinha de itens que não são recomendados que você leve no dia:

Celular: você não pode, em hipótese alguma, utilizar o celular durante a prova. Se puder, deixe-o em casa, mas, caso tenha de levá-lo, certifique-se de que eles estará completamente desligado ao longo da prova;

Acessórios: evite usar pulseiras, relógios, colares ou brincos, pois eles podem te atrapalhar na hora do exame. Além disso, não é permitido portar boné, chapéu, óculos escuros e tiaras;

Aparelhos eletrônicos: calculadoras e iPads, por exemplo, são estritamente proibidos;

Materiais escolares: lápis, borracha, apontador, lapiseira, estojos e afins não são permitidos. Leve apenas a caneta preta.

O que cai no Enem?

Como dissemos anteriormente, a prova do Enem é dividida entre áreas do conhecimento. No total, são 4 grandes áreas e a redação. Abaixo a gente te conta o que cai no Enem: Matemáticas e suas Tecnologias
Matemática no Enem é uma das provas mais extensas. Possui 45 questões e abrange geometria, funções, razão e proporção, matemática financeira, probabilidade e estatística.

Ciências Humanas e suas Tecnologias
Abrange história da Filosofia, correntes filosóficas, História geral, história do Brasil, meio ambiente, urbanização, movimentos migratórios, agricultura, população, indústria (em resumo, campos de estudo da Geografia).

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias
Nessa seção, você verá acentuação tônica e gráfica, concordância verbal e nominal; regência verbal; regras ortográficas; estrutura sintática de orações; figuras de linguagem; características de tipologias e gêneros textuais; norma culta e preconceito linguístico, trovadorismo; humanismo; classicismo; quinhentismo; barroco; arcadismo; romantismo; realismo; naturalismo; simbolismo; parnasianismo; modernismo. Tudo que envolve a Língua Portuguesa.

Língua Estrangeira
Essa área, na verdade, está incluída na seção de Linguagens e Códigos. Você tem como desafio a leitura e interpretação de textos, análise de charges, canções e poemas, domínio lexical e falsos cognatos.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Conteúdos de Química, Física e Biologia, como química orgânica, cálculos estequiométricos, interpretação em química, cinemática, leis de Newton.

Redação
Na redação do Enem, os candidatos devem preparar um texto de caráter dissertativo-argumentativo de, no máximo, 30 linhas, a partir de um tema pré-definido (normalmente, é sobre algum problema social brasileiro), que deve conter uma proposta de intervenção.

Os participantes recebem textos de apoio nos quais se basear, mas são livres para usarem referências externas caso tenham conhecimento.

E você sabe como ir bem na redação do Enem? Preparamos algumas dicas que podem te ajudar nesse momento que, geralmente, gera certa tensão nos candidatos. Acompanhe o fio

Como fazer uma boa redação do Enem

Não existe uma regra muito rigorosa para ir bem na redação do Enem. Mas há algumas coisas que você pode ter em mente sempre que estiver treinando para fazer a redação e, é claro, quando estiver, de fato, escrevendo sua redação do Enem, como a estruturação do seu texto.

Consideramos que os principais passos para ir bem na redação do Enem são:

Manter-se atualizado: temas atuais de cunho social são frequentes. Informe-se através de noticiários da TV, jornais gratuitos online e leituras de revistas pré-vestibulares, que podem contribuir para o seu preparo;

Atenção às competências exigidas: domínio da língua portuguesa e regras gramaticais, habilidade para compor e interpretar textos são algumas das principais exigências. Não se esqueça se reforçá-las no momento dos estudos;

Leia atentamente os textos de apoio: os textos de apoio sempre contam com dados relevantes para a produção da sua redação do Enem, por isso, olhe para eles com atenção e cautela;

Leia muito! Intensifique a leitura no dia a dia, pois quanto mais se lê, melhor se escreve. É legal fazer algo como uma meta de leitura. Por exemplo, se comprometer a ler, no mínimo, 10 páginas de algum livro por dia;

Capriche na primeira frase: é ela que vai causar o primeiro impacto no avaliador e envolvê-lo na leitura;

Parágrafo de introdução: faça um primeiro parágrafo claro e objetivo, que tenha, de preferência, entre 3 e 4 linhas;

Esquematize o desenvolvimento: planeje-se através de tópicos (o que você vai escrever em cada parágrafo?). Isso facilita na hora de argumentar as ideias;

Conclua retomando pontos-chave: em cada parágrafo, é indicado argumentar uma ideia. Retome, na finalização, as principais ações desenvolvidas para arrematar as ideias e dar a impressão de que seu texto está completo;

Tente evitar erros: existem algumas práticas que devem ser evitadas para que você não zere a redação, como: fugir do tema, escrever menos de 8 linhas, utilizar outro gênero textual sem ser a dissertação-argumentativa, fazer desenhos na folha de redação, escrever a maior parte do texto em outro idioma e deixar a página em branco. Atente-se a estes pontos.

A gente tem um e-book com detalhes explicativos de como tirar mil na redação do Enem. Baixe e garanta sua nota!

E tem como saber o tema da redação do Enem?

O tema da redação do Enem nunca é liberado com antecedência, os candidatos só descobrem no dia de fazer a prova. O que sempre existe são previsões a respeito de qual poderia ser o tema; em vídeos do Youtube e artigos comentados, por exemplo, especialistas dão a letra e tentam desvendar qual será o tema da redação do Enem daquele ano.

Como a gente já disse, os temas giram em torno de problemáticas sociais brasileiras. Alguns exemplos de tema da redação do Enem que já apareceram nas provas oficiais são:

✔️ O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira; ✔️ A democratização do acesso ao cinema no Brasil; ✔️ A manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na Internet; ✔️ Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil; ✔️ Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil; ✔️ A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira.

Realmente, não dá pra saber, ao certo, qual será o próximo tema da redação do Enem, mas temos uma dica:

Mantenha-se informado sobre atualidades e assuntos em alta. As leituras informativas nunca são demais!

Tenha em mente também que o período em que as provas são preparadas varia de 5 a 6 meses anteriores à aplicação do exame; esse é o tempo estipulado para elaboração das questões e do tema da redação do Enem, e de impressão dos materiais.

Por este motivo, é pouco provável que o tema da redação seja algum evento que tenha tido atenção, por exemplo, 2 meses antes da prova.

Revisão para o Enem

Você sabe como fazer um plano de estudos para se preparar antes da prova do Enem? Em primeiro lugar, é interessante que você mantenha uma planilha de estudos, com dias da semana, horários e as principais matérias que você deve estudar.

Temos um modelo de planilha de estudos que pode te ajudar a se preparar para o grande momento. O ideal é que você inicie sua rotina diária com horários específicos para estudar. Deixe a procrastinação de lado, registre sua evolução e mapeie o que precisa ser intensificado em termos de aprendizagem. Comece estudando pelas disciplinas que são mais difíceis pra você.

Na reta final para o Enem, você pode seguir nossas dicas de estudo em 4 semanas:

1ª semana: estude as questões que você erra mais e refaça exercícios. Além disso, fique de olho nas notícias sobre a atualidade pois podem agregar para compor a redação; 2ª semana: revise os pontos de maior dificuldade e treine a redação. Sempre há especulações sobre o tema, trabalhe em cima deles; 3ª semana: releia as anotações e procure novamente refazer os testes. Como foi apontado anteriormente, há plataformas e canais que podem contribuir para aumentar seu desempenho; 4ª semana: faça uma revisão geral de tudo um dia por semana. Dedique-se, por exemplo, na segunda-feira, a estudar matemática; terça-feira, ciências naturais, e assim por diante. É o momento de repassar geral e buscar meios de se manter tranquilo para que a tensão não atrapalhe agora.

Especialmente nos 30 dias que antecedem a prova e, mais ainda, 1 semana antes do Enem, nós também recomendamos as seguintes orientações:

Faça um cronograma de revisão: estabeleça etapas de revisão de acordo com cada bloco de conteúdos, assim é viável revisitar um por um focando naqueles considerados mais complexos; Utilize técnicas de memorização: use flashcards, marcadores coloridos ou alguma forma que mais convém a você para memorizar com mais facilidade; Trace objetivos diários de estudo; Relaxe e respire em alguns momentos, faça pausas e durma bem; Aplique a PNL: a Programação Neurolinguística (PNL) tem auxiliado na retenção dos conteúdos pelos estudantes. Aplicar técnicas mnemônicas, por exemplo, são práticas dessa linha que contribuem para tranquilizar e melhorar seu aprendizado.

Quer saber qual é o seu perfil de estudante do Enem?

Como é feita a correção do Enem?

A questão de como é feita a correção do Enem é comum entre os participantes. A metodologia de correção é, basicamente, a leitura informatizada do cartão-resposta, no qual o resultado fica armazenado até que a nota da redação seja dada.

A redação, por sua vez, é corrigida por mais de um profissional especialista e, após ser cautelosamente avaliada, a nota é lançada juntamente à nota do cartão-resposta.

A lógica de correção das 180 questões objetivas obedece critérios pedagógicos, com avaliações individuais e atribuindo pesos diferentes para cada candidato. Peraí, mas como assim? É que o Enem trabalha com uma metodologia nomeada “Teoria de Resposta ao Item (TRI)”. Já vamos falar um pouco sobre ela.

O cálculo da média individual do Enem é feito através da soma das notas finais obtidas na correção das 4 provas objetivas + a nota da redação. Ao final, divide-se esse número por 5.

Teoria de Resposta ao Item - Enem

A Teoria de Resposta ao Item ou apenas TRI é um sistema de avaliação que leva em consideração, em resumo, a coerência entre acertos individuais e o nível de dificuldade de cada questão. A TRI é popularmente chamada de "sistema antichute”. Quer saber por quê?

O sistema tem como base três parâmetros:

Grau de dificuldade da questão; Possibilidade de acerto ao acaso (chute); Poder de discriminação, que é caracterizado por questões que têm o caráter de distinguir quem tem a proficiência daqueles quem não têm em resolver determinado problema.

Quer dizer: essa metodologia estatística reduz as chances de se obter uma boa nota apenas a partir de chutes aleatórios, visto que identifica incoerências nas respostas, atribuindo, consequentemente, notas mais justas a cada candidato.

Correção da redação - Enem

A correção da redação do Enem é feita por dois avaliadores qualificados (é claro que não são apenas 2 pessoas que corrigem tooooodas as provas do Enem, existem dezenas de avaliadores que se revezam nas correções).

A prova passa na mão de, pelo menos, 2 pessoas justamente para evitar incoerências, e a pontuação da redação segue os seguintes critérios:

Domínio das regras gramaticais e demais normas-padrão da língua portuguesa;
Interpretação da proposta da redação;
Coerência e organização das informações colocadas;
Conhecimento do assunto a ser desenvolvido e argumentação do texto;
Propostas interessantes para solucionar as problemáticas abordadas, respeitando os valores e a ética, além das diversidades socioculturais.

E, só pra reforçar, de acordo com o Edital do Enem, sua redação será zerada caso você pratique alguma dessas ações:

Fugir do tema proposto;
Utilizar uma estrutura textual que não seja dissertativo-argumentativa;
Texto de até 7 linhas;
Desenhos e outras formas desconectadas da proposta;
Redação em branco;
Cópias (sem referenciar) de outros textos;
Assinar a redação em local impróprio;
Escrever a maior parte da redação em outro idioma.

Como simular nota do Enem

Bem, como saber se você foi bem no Enem? Um dos cálculos possíveis para simular a média do Enem com base no número de acertos se encontra no site TRIEduc. Lá, você acessa uma calculadora de notas na seção “Sua Nota do Enem”. Aí é só preencher as respostas do gabarito (o mesmo do Enem), e ela simula a nota das suas respostas.

No site do Sisu existe uma calculadora na qual é possível calcular uma previsão da nota. É só preencher todas as informações e clicar no botão “simular chances”. Nesse site também tem uma solicitação para colocar a nota estimada da redação.

Quando sai o resultado do Enem?

O prazo estimado para a divulgação das notas pelo INEP é cerca de 90 dias após a aplicação do exame. Para saber o seu resultado do Enem, tenha em mãos seus dados de login e senha do INEP, e consulte seus resultados.

Como usar a nota do Enem para ingressar na faculdade?

O Enem é uma das formas de ingresso mais utilizadas em programas de bolsa, faculdades e universidades. Os programas Sisu, Prouni e FIES são os principais, mas também existem vagas destinadas a participantes do Enem em universidades portuguesas.

Veja como usar a nota do Enem em cada uma das situações!

Quem pode concorrer a vagas de ações afirmativas no SiSU?

Estão aptos a concorrer por vagas na modalidade ações afirmativas do SiSU: Pessoas pretas, pardas, indígenas e com deficiência; Estudantes de escolas públicas; Pessoas de baixa renda.

Como usar o Enem no Sisu

Grande parte das universidades públicas possui vagas destinadas ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu). As inscrições abrem duas vezes ao ano (geralmente em janeiro e junho) e, para participar, não pode ter zerado na redação.

Quem tem notas mais altas, normalmente tem mais chances de conseguir uma vaga, mas a nota de corte varia de acordo com o curso escolhido. O sistema é totalmente online, e cada universidade decide o percentual de vagas destinadas ao Sisu, sendo que muitas delas já atuam exclusivamente pelo Sistema.

Como usar o Enem no Prouni

O Programa Universidade para Todos (ProUni) oferece bolsas a estudantes de baixa renda que fizeram o Enem. A redação não pode ser zerada e o percentual total da nota não pode ser inferior a 450 pontos.

O Prouni abre as inscrições geralmente em janeiro, porém há oferta de bolsas remanescentes ao decorrer do ano.

Como usar o Enem no FIES

Foi a partir de 2015 que o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) passou a utilizar o Enem para fornecer um financiamento a juros baixos. Os alunos que optam pelo FIES começam a pagar a faculdade (particular) só depois de formados.

Como usar o Enem em Portugal

Criado em 2014, este convênio oferece vagas em universidades portuguesas. Para seguir este caminho, você deve, primeiramente, ter obtido uma boa nota no Enem. Os outros requisitos para participar são:

Não ter nacionalidade ou ser descendente direto ou cônjuge europeia (você deve apresentar declaração de honra);
Não morar em Portugal há mais de 24 meses;
Não ter o Estatuto de Igualdade de Direitos;
Ter realizado a prova do Enem;
Possuir qualificação no idioma português;
Ter o certificado de conclusão do Ensino Médio.

Como escolher a faculdade certa para você?

Não sabe qual profissão combina com você? Bem, antes de escolher o que você pretende cursar, é legal fazer um exame vocacional. Assim, você consegue selecionar com mais exatidão a área a ser seguida.

O Teste vocacional do Enem Action é gratuito e tem perguntas personalizadas para o seu perfil.

Além disso, pode ser interessante buscar uma orientação de carreira, que se baseia em pesquisas a respeito do mercado de trabalho e, ainda, indica habilidades pessoais que poderiam ser desenvolvidas conforme seus valores e gostos.

O autoconhecimento é fundamental para que você consiga escolher a faculdade certa para o seu perfil. E não se preocupe caso você não se dê bem de primeira com o curso escolhido, sempre existem outras opções para explorar!

Quais são os cursos mais procurados?

Os cursos mais procurados em faculdades públicas e privadas, normalmente, têm uma nota de corte um pouco acima da média. Confira alguns deles e, se tiver interesse, deixamos algumas dicas de estudo para garantir sua vaga. Medicina
Os vestibulares de medicina são, de longe, uns dos mais concorridos. Para conquistar uma vaga, é recomendado ter um plano de estudos voltado para medicina bem direcionado. Algumas disciplinas exigem maior atenção, como Química, Física e Redação.

O ideal é estabelecer objetivos de estudo que tenham como foco central essas três áreas, mas, é claro, sem se esquecer de contemplar o restante das exigências da prova do Enem.

Existem pessoas que conseguem passar de primeira em medicina, porém, saiba que é muito comum que as pessoas passem anos estudando em cursinhos preparatórios antes de conseguir a tão sonhada vaga. Por isso, mesmo que o caminho pareça difícil, lembre-se de que, lá na frente, o esforço vai ter valido a pena.

Nós preparamos um e-book se você quiser entender um pouco mais sobre as carreiras da área da saúde que podem estar incluídas numa faculdade de medicina ou não.

Direito
O curso de direito também é um dos mais almejados pelos estudantes e têm diversas oportunidades de carreira na área legal.

Assim como no curso de Medicina, é necessário muito treino de redação para passar em Direito, além de conhecimentos mais aprofundados na área de Linguagens e Ciências Humanas, como Filosofia e História.

O Direito possui um amplo mercado de trabalho, que envolve a participação em concursos, e que exigem, igualmente, grande dedicação dos estudantes

Engenharias
Existem diversos tipos de engenharia: civil, mecânica, computacional, ambiental e por aí vai! Já deu pra perceber que o mercado de trabalho da engenharia é bem amplo e engloba muitas possibilidades, né?

De maneira geral, as engenharias são uma boa pedida para quem tem afinidade com as exatas, e estão sempre no topo da escolha de uma boa parcela dos estudantes que fazem o Enem.

Nossa dica é estudar muito para matérias como Matemática e Física, atentando-se a fórmulas espaciais.

Para ter mais dicas sobre o assunto e conhecer mais detalhadamente sobre cada uma das engenharias, acesse nosso Guia de Carreiras - Engenharia.

Psicologia
O curso de Psicologia também é um daqueles que oferecem diversas oportunidades e áreas de atuação. Não se engane pela aparência de que este é um curso “fácil” ou “popular demais”: a complexidade da Psicologia se nota logo na grade de matérias.

A Psicologia está em constante ascensão, e tem uma duração média de 5 anos. Ir bem na redação do Enem é fundamental. Além disso, a prova de Ciências Humanas merece uma atenção especial.

Não passei no Enem

Se você está se questionando: não passei no Enem, e agora? Acalme-se! Você não deveria se sentir frustrado, fracassado, nem nada do tipo. A gente sabe que é fácil falar, mas que, na prática, esses sentimentos vêm e vão sem termos a chance de controlá-los.

Respire fundo e tente se acalmar. Essa é uma oportunidade de focar nas coisas que não foram tão boas desta vez e de se preparar melhor para o próximo exame. Não há nada de errado nisso.

Além de tudo, o Enem não é a única maneira de ingressar em boas universidades. Muitas delas ainda seguem vestibulares próprios, que você também pode tentar.

Você conhece a Estácio?

A Estácio é uma das universidades particulares que aceitam o Enem como porta de entrada, mas também tem um vestibular próprio e ações de incentivo ao estudo, como o Megavestibular, que te deixam ainda mais perto dos seus sonhos.

Na Estácio, você tem a possibilidade de fazer uma graduação presencial, semipresencial, flex ou digital. São mais de 120 cursos de graduação, então, com certeza tem um que é perfeito pra você.

Estamos no Brasil há mais de 50 anos e já batemos a marca de 500 mil alunos, distribuídos em mais de 1.100 unidades e polos espalhados País afora.

Além da Graduação, nossos cursos de pós-graduação, MBA e os Cursos Livres são excelentes oportunidades para quem quer se manter ativo nos estudos e no mercado de trabalho.

Vem brilhar com a gente!

Ver Mais